Já escovou os dentes hoje?

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Estudo liga infecção na gengiva a risco de câncer
27 de maio, 2008 - 10h55 GMT (07h55 Brasília)

Infecções na gengiva podem ser um sinal de um maior risco de câncer tanto em fumantes como em não-fumantes, segundo uma pesquisa realizada pelo Imperial College de Londres.

O estudo, publicado no jornal especializado Lancet Oncology, concluiu que aqueles com histórico de infecção na gengiva tem 14% mais chances de desenvolver câncer comparados com aqueles que não têm.

A equipe estudou os registros médicos de 50 mil homens americanos desde 1986 e concluiu que aqueles com problemas na gengiva tinham 30% mais chances de ter câncer no sangue, como leucemia, 36% mais chances de ter câncer no pulmão, quase 50% mais riscos de câncer no rim e um aumento semelhante no risco de câncer no pâncreas.

Pesquisas anteriores sugeriram que os riscos maiores eram entre fumantes, mas o estudo do Imperial College sugere que mesmo em não-fumantes a presença de infecção na gengiva pode representar um maior risco de câncer.

Os cientistas não constataram um aumento no risco de câncer no pulmão em não-fumantes com histórico de infecções na gengiva, mas verificaram um ligeiro aumento no risco geral de câncer neste grupo - e um aumento comparável ao de fumantes nos casos de câncer de sangue.


Explicação

Há várias teorias que tentam explicar as razões da ligação entre infecção na gengiva a outras doenças.

Os pesquisadores sugeriram que o problema pode ser um sinal de uma fraqueza no sistema imunológico que poderia também permitir o desenvolvimento de câncer.

“Os resultados indicam uma associação na resposta do sistema imunológico à inflamação, o que pode levar a uma suscetibilidade tanto a doenças periodontais como a câncer no sangue”, diz o estudo.

No entanto, os pesquisadores também dizem que infecções persistentes na gengiva podem levar a mudanças na resposta imunológica, facilitando o desenvolvimento de câncer, ou que a bactéria que causa a infecção na gengiva possa estar diretamente causando câncer nos tecidos da boca e da garganta quando engolida.

Mas os cientistas não chegaram a recomendar que aqueles que têm problemas na gengiva procurem o médico em vez do dentista.

“Nesse momento, nós acreditamos que qualquer recomendação para a prevenção de câncer com base nesses resultados pode ser prematura. Pacientes com doenças periodontais devem ir ao dentista independentemente do impacto no risco de câncer”, concluíram.

Bom estamos no Brasil e não é muito fácil seguir as recomendações odontológicas básicas como visitar seu dentista a casa 6 meses, mas alguns cuidados podem ser realizados diariamente! Trocar a escova de dentes a cada 2/3 meses, usar fio dental e escovar os dentes depois das refeições não é uma atitude impossível e nem onerosa. Agora o negócio é escovar os dentes corretamente! Sim! Corretamente, não adianta escovar 50 vezes por dia e não limpar nada! De nada adianta a força, escovar os dentes é questão de movimentos corretos. Outra coisa, você deve escovar atrás dos dentes e também sua língua. Veja vídeo explicativo!




Lê por feed/e-mail, clique aqui!


Se mesmo assim escovar os dentes não te agrada, então olha nesse link aqui 90 motivos para você mudar de idéia!

Chocolate, sempre amargo!

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Chocolate protege diabéticos contra doenças cardíacas, diz estudo
27 de maio, 2008 - 09h16 GMT (06h16 Brasília)

O consumo de uma xícara de chocolate amargo enriquecido pode ajudar diabéticos a prevenir doenças cardíacas, segundo um estudo conduzido por cientistas alemães.

O estudo, publicado na revista científica Journal of the American College of Cardiology, sugere que compostos conhecidos como flavonóides, presentes no cacau, principal ingrediente do chocolate, seriam os responsáveis pela ação benéfica da bebida.

Os flavonóides impulsionam o aumento da produção de óxido nítrico - uma substância química produzida pelo corpo que atua no relaxamento e dilatação das artérias.

Os cientistas ressaltaram que a função arterial é geralmente prejudicada pela diabetes por causa do alto nível de açúcar no sangue, que impede a dilatação das artérias e pode resultar em um aumento na pressão arterial.

De acordo com os resultados da pesquisa, o consumo de chocolate – considerado um alimento a ser evitado por pacientes diabéticos – enriquecido com flavonóides, demonstrou ser eficaz na normalização das funções arteriais dos diabéticos, o que ajudaria a prevenir doenças cardíacas.


Efeitos

Para realizar o estudo, os cientistas alemães desenvolveram um tipo especial de chocolate com alta concentração de flavonóides.

A equipe testou os efeitos do consumo em um grupo de dez pacientes diabéticos, que tomaram um copo do chocolate enriquecido, três vezes ao dia, durante um mês.

Os cientistas avaliaram os efeitos do consumo através da dilatação fluxo-mediada das artérias, um exame que registra as variações no fluxo sangüíneo. Segundo os resultados observados pela equipe, a habilidade de dilatação das artérias aumentou quase que imediatamente após o consumo da bebida.

De acordo com a pesquisa, as artérias de uma pessoa normal são capazes de dilatar cerca de 5%. No caso dos pacientes diabéticos, essa capacidade foi registrada em 3,3% antes da ingestão da bebida.

No entanto, duas horas depois de consumirem o chocolate, essa capacidade aumentou, em média, para 4,8%. Quando avaliados depois dos 30 dias, os pacientes demonstravam 4,1% de capacidade de dilatação mesmo antes de ingerir a bebida, e em média 5,7% quando avaliados depois de duas horas do consumo.

“Nossa pesquisa demonstra que uma os flavonóides podem ter um impacto importante como parte de uma dieta saudável na prevenção de complicações cardiovasculares em pacientes diabéticos”, disse Malte Kelm, do Hospital Universitário de Aachen, que liderou o estudo.


Alerta

O pesquisador ressalta, no entanto, que sua pesquisa não é sobre o chocolate, mas sobre os flavonóides.

Um porta-voz da ONF Diabetes UK, que trabalha com pacientes diabéticos, os resultados do estudo são “interessantes”, mas é preciso tomar cuidado.

“Os flavonóides parecem oferecer potenciais benefícios para as pessoas com diabetes, mas, nesse estágio, não podemos aconselhar os pacientes a começar a tomar uma quantidade grande de chocolate quente, pois a bebida pode ser rica em açúcar e gordura”, disse.

“É preciso que mais pesquisas avaliem, a longo prazo, os efeitos de consumir um nível tão elevado de flavonóides”, alertou.

Eu sou chocólatra assumida! Por isso é possível encontrar nesse blog uma gama de informações sobre o assunto clicando aqui! É claro que tudo em exagero faz mal, por isso, e, principalmente, se você é diabético, antes de começar tal dieta consulte seu médico! Deixo aqui também, reportagem feita pelo Jornal Nacional, divulgando o benefício de chocolate amargo ao coração!





Lê por feed/e-mail, clique aqui!

[Oportunidade] IV Encontro Estatístico

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Estatística e o mercado

Conre-3 e IME/USP promovem evento para discutir o aumento da procura por estatísticos no mercado de trabalho

O Conselho Regional de Estatística da 3ª Região (CONRE-3) e o Departamento de Estatística do Instituto de Matemática e Estatística da USP (IME-USP) promoverão, no dia 11 de outubro, o IV Encontro Estatístico, em São Paulo. O evento vai reunir estatísticos, alunos, professores e comunidade interessada para discutir sobre as mais recentes mudanças no mercado de trabalho em uma área que abriga salários atraentes e poucos profissionais disponíveis.

“O tema deste ano surgiu a partir da constatação da grande procura por estatísticos no mercado de trabalho. Atualmente, o aumento na competitividade das empresas dos mais diversos segmentos tem gerado uma corrida por profissionais especializados”, revela Dóris Fontes, coordenadora geral do Conre-3.

Entre os presentes estarão Prof. Wilton de Oliveira Bussab, da FGV, Juan Carlos Terán, doutor em Estatística (IME-USP) e Marcos Antonio Coque Jr, mestre em Estatística (IME-USP).

O evento é também uma oportunidade para estimular a formação de pessoal para atuar na área de estatística, nos mais diversos setores do mercado brasileiro, além de despertar o interesse de estudantes e jovens pesquisadores para esta área.

Estatísticos transformam números e gráficos em informações que servirão para reduzir custos, minimizar riscos ou otimizar processos. Com oportunidades de atuação nas áreas de indústrias, financeiras, recursos humanos, demografia, universidades e institutos de pesquisas, profissionais em estatística têm emprego garantido, com salários básicos que variam de R$ 2 mil a R$ 8 mil.


Serviço
IV Encontro Estatístico
Data: 11 de outubro de 2008
Local: Auditório Sucesu-SP
Endereço: Rua Tabapuã, 627 – Itaim
Entre as ruas João Cachoeira e Bandeira Paulista
Horário: A partir das 8h30


Valores
Estatísticos com registro em dia no CONRE: R$ 20
Estudantes do bacharelado ou pós em estatística: R$ 20
Demais casos: R$ 40

* Os valores incluem café da manhã, coffee break e coquetel de encerramento.

Mais informações: Conre3




Informações para Imprensa/Agendamento de entrevistas

Camila Soares
Jornalista
Conselho Regional de Estatística 3ª Região (SP-PR-MT-MS)
(11) 3361-8590
camila@conre3.org.br