Uma sensação de eu te disse, eu te disse...

domingo, 3 de fevereiro de 2008

Brasileiro está entre os 'mais céticos' sobre diálogo com Islã
22 de janeiro, 2008 - 16h36 GMT (14h36 Brasília)


Os brasileiros estão entre os mais pessimistas em relação às condições do diálogo entre o Ocidente e o mundo muçulmano, segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Gallup.

O estudo, encomendado pelo Fórum Econômico Mundial em parceria com a Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos, entrevistou cerca de mil pessoas em cada um dos 21 países que percorreu.

No ranking compilado pela pesquisa, os brasileiros aparecem em penúltimo, à frente apenas dos russos, que se disseram os mais pessimistas.

Acima dos brasileiros na lista aparecem os paquistaneses. Os bengaleses encabeçaram o ranking como os mais otimistas, seguidos pelos sauditas e holandeses. Os americanos aparecem em décimo lugar.


Fatores

O estudo afirma que a posição de cada país no ranking reflete uma "combinação complexa de fatores sócio-econômicos, políticos e culturais".

"Paquistão, Brasil e Rússia ocupam as últimas posições mais por falta de respostas positivas do que pela prevalência de respostas negativas", diz o relatório.

"No Brasil, por exemplo, um em cada três entrevistados se recusou em responder quando indagado se a relação entre o Ocidente e o mundo islâmico estava melhorando", diz o estudo.

"Quando isso acontece, é porque a pessoa não se sente à vontade com o tema ou então não tem interesse."

O estudo avalia que, no caso do Brasil e da Rússia, isso acontece porque a relação entre muçulmanos e comunidades do Ocidente não é do "interesse pessoal" de muitos entrevistados.

A pesquisa ainda observa que o Brasil, visto como um "observador de fora", não acredita que haja "comprometimento e respeito" entre as duas partes.

"Menos de um em cada cinco no Brasil e na Rússia acredita que os mundos ocidental e muçulmano respeitam-se mutuamente.".



* * * * * * *

Fiquei bem curiosa para saber como eram as perguntas dessa pesquisa e como foi dividida a população para responder (classe social e grau de instrução). Creio que grande parte do pessimismo, como já foi dito no artigo, vem diretamente da falta de “interesse pessoal” dos entrevistados, ou seja, os brasileiros têm preguiça ou grande descaso em acompanhar o que acontece por lá!!! Eu tento acompanhar algumas coisas desse mundo “tão obscuro que pintam” que é o Islã e é por isso que pesquisas como essas me assustam!!! Primeiro, o objetivo dessa pesquisa não foi apresentado aqui!!! Segundo, uma vez que todo mundo diz/acha que o Ocidente não conseguirá sucesso no diálogo com os mulçumanos. Não parece mais fácil aceitar que as tropas do “ocidente” entrem lá e matem todo mundo???

Se pelo menos o objetivo da pesquisa estivesse ai, eu não ficaria com a impressão do “eu te disse, eu te disse”!!! E como eu sempre digo, antes de julgar, conheça!!! Meu coração diz: "Islam is not the enemy!!!"



3 Observações:

Sérgio disse...

Oi linda.
Apoio sua preocupação. Só seremos mias cidadãos do mundo quando discutirmos as razões do mundo ser o que é.
Ontem assisti o jornal do SBT que mostrava uma reportagem sobre a polícia do Rio.
Dois cariocas começaram a discutir na frente da câmera, o que foi elogiado pelo âncora Carlos Nascimento.
Para mim a discussão é natural, o que a faz digno de elogio é a raridade com que ocorre.
Dito isso eu lhe pergunto:
Se não debatemos e muitas desconhecemos os nossos próprios problemas, o que dizer sobre problemas dos outros?
...
Beijões
Sérgio

Wallace disse...

"falta de respostas positivas do que pela prevalência de respostas negativas"

Nossa...

Aproveita e cria um banner 120X60Px pra te linkar... ;) Quero uma resposta positiva.

Bjão

[>Dallai<] disse...

Eu sou um dos que acreditam que se há mesmo um anti-Cristo por vir, ele não virá em forma de pessoa e sim de sistema: os EUA.