Conformei-me!!! Sou Baixinha!!!

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Mulher de perna curta tem mais risco de danos no fígado, diz estudo
18 de dezembro, 2007 - 11h33 GMT (09h33 Brasília)

Uma nova pesquisa britânica mostrou que mulheres com pernas curtas podem ter risco maior de problemas do fígado.

Os pesquisadores da Universidade de Bristol examinaram 4,3 mil mulheres entre as idades de 60 e 79 anos.

Os resultados revelaram que, quanto mais curta a perna de uma mulher, maior eram os indicadores de problemas no fígado, avaliados através da análise dos níveis de enzimas produzidos pelo órgão.

A equipe britânica publicou a pesquisa na revista especializada Journal of Epidemiology and Community Health.

Pernas e altura

Os cientistas, liderados por Abigail Fraser, mediram o tamanho da perna e a altura das mulheres. Nos exames de sangue eles mediram os níveis de quatro enzimas do fígado: alanina aminostranferase (ALT), gama-glutamiltransferase (GGT), aspartato transaminase (AST) e fosfatase alcalina (ALP, na sigla em inglês).

Quanto mais comprida era a perna da paciente examinada, menor era o nível de três destas enzimas.

A equipe de Abigail Fraser diz que a explicação para esta ligação entre o tamanho da perna e o estado do fígado pode estar na infância e adolescência dos pacientes.

"Nossa interpretação é a de que condições enfrentadas na infância, como desnutrição, que influenciam os padrões de crescimento, também influenciam o desenvolvimento do fígado", escrevem os cientistas na revista Journal of Epidemiology and Community Health.

"Mais estudos, com avaliações de exposições (a vários fatores) na infância, relevantes para o comprimento da perna, seriam valiosos para identificar qualquer exposição específica que contribua para o funcionamento do fígado na vida adulta e doenças cardiovasculares."

Para a organização de caridade britânica que estuda problemas relacionados ao fígado, a British Liver Trust, a pesquisa da Universidade de Bristol é "muito interessante".

"O estudo mostra claramente a importância de um estilo de vida saudável particularmente entre os mais jovens", afirmou um porta-voz da organização.
* * * * * * *

Apesar de eu ter desejado muito 5% de pernas a mais, acabei me conformando com o sou “baixinha” e mesmo com a apresentação desse problema no fígado, existem vantagens de ser “perna curta”. Por exemplo, as baixinhas sempre podem usar saltos ao lado de seus namorados e, também, é verdade que os homens não gostam de mulheres muito mais altas que eles (perde estética). “Baixinha” é, normalmente, um apelido carinhoso (exceto nos gibis da Mônica e Cebolinha hehehe). No YouTube aparecem (hoje) 341 vídeos com a palavra baixinha a maioria sobre assuntos carinhosos, contra 102 que aparecem com a palavra “altinha” que retrata um jogo de bola. Então, mulheres de “pernas curtas” nem tudo está perdido!!! Está ai a Sheila Carvalho, mostrando que baixinha, não deixa a desejar no quesito beleza!!!


2 Observações:

Wallace disse...

As baixinhas comandam! As altas tem problemas no fígado porque bebem mais rs...

Não recebi nehum e-mail não, minha querida.

Mandou para blog arroba tigredemuleta ponto net ?

bjão!

[>Dallai<] disse...

Eu sempre gostei de baixinhas...Afinal, mulheres de 1,90m nem sempre estão por aí...Ainda mais disponíveis...Sem contar a feminilidade das baixinhas...É outra história!