Febre Amarela

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Olá pessoal, o Este ou Aquele? também está na campanha "Combate a Febre Amarela". Aproveito-me de um post recente que coloquei aqui e que foi realizado para o “Eu vou exterminar todos os mosquitos do Universo!!!”, pois esse Blog visa mostrar a importância da estatística em nossas vidas, dessa forma, não poderíamos deixar de citá-la!!!



Faça parte!


Eu não sei se é todo mundo que sabe, mas temos dois tipos de Febre Amarela, a silvestre, a silvestre, transmitida pela picada do mosquito Haemagogus (um mosquito azul-escuro de 4 milímetros)

(fonte da foto)

e a urbana, causada pelo mosquito Aedes Aegypti (parece uma zebrinha – o mesmo que transmite a dengue)

(fonte da foto)

É importante saber que a febre amarela não é transmitida de uma pessoa para outra.

(fonte da figura)

A transmissão do vírus ocorre quando o mosquito pica uma pessoa ou primata (macaco) infectados, normalmente em regiões de floresta e cerrado, e depois pica uma pessoa saudável que não tenha tomado a vacina. (Drauzio Varella)

Abaixo se tem um mapa com a situação da febre amarela no Brasil.

(fonte figura)

Definição das áreas no mapa:

Área endêmica (Verde) - São áreas que sempre apresentaram circulação viral, seja pela ocorrência de epizootias ou pela ocorrência de casos humanos.

Área de transição (Vermelha) - São áreas com evidência de circulação viral esporádica em período mais recente (ocorrendo entre vetores, em epizootias ou podendo haver casos humanos em forma de surtos esporádicos).

Área indene de risco potencial (Amarela) - São áreas contíguas às áreas de transição, que apesar de não haver evidência de circulação viral, as características da hidrografia e da vegetação, dentre outros fatores, determinam que nestes locais há maior probabilidade para ocorrência de epizootias e/ou casos humanos.

Área indene (Azul) - São áreas sem evidências de circulação viral e não apresentam contigüidade com os locais de ocorrência de circulação viral da área de transição.

Percebam onde se localiza Recife-PE no mapa:

(fonte figura)

Apesar de localizar-se na área indene, Recife é um “grande pólo” fornecedor de mosquitos Aedes Aegypti!!! Soube disso no segundo semestre do ano de 2006, quando cursei uma disciplina chamada “Laboratório I”, onde apresentamos relatórios com análises estatísticas. Meus amigos Wagner Hugo Bonat e Henrique Dallazzuana, apresentaram “Métodos estatísticos aplicados no monitoramento de ovos do mosquito Aedes Aegypti” na cidade de Recife-PE e conta com a orientação do Prof. Dr. Paulo Justiniano Ribeiro Jr.


Como surgiu o Projeto SAUDAVEL

“A degradação do meio ambiente e os problemas sócio-culturais no Brasil afetam o cenário epidemiológico urbano brasileiro, levando-o a ser destaque na mídia nacional e internacional, decorrente de epidemias de dengue, leptospirose, a recorrência de tuberculose, entre outras. Diante dessa realidade constatou-se que é de fundamental importância criar métodos capazes de detectar precocemente o número de casos que caracterizam surtos epidêmicos, modelar e identificar fatores de risco e de proteção nas situações endêmicas e epidêmicas. Nesta perspectiva foi elaborado o Projeto SAUDAVEL (Sistema de Apoio Unificado para Detecção e Acompanhamento em Vigilância Epidemiológica), o qual pretende contribuir para aumentar a capacidade do setor de saúde no controle de doenças transmissíveis, demonstrando ser necessário desenvolver novos instrumentos para a prática da vigilância epidemiológica, incorporando aspectos ambientais, identificadores de risco e métodos automáticos e semi-automáticos, que permitam a detecção de surtos e seu acompanhamento no espaço e no tempo.” (fonte)



Neste trabalho você poderá verificar como é desenvolvido o procedimento para a visualização espaço-temporal dos dados do experimento de coleta de ovos do mosquito Aedes Aegypti bem como os locais mais atingidos pelo mosquito em Recife.




video

Entenda o vídeo clicando aqui!

Os sintomas da febre amarela são parecidos com o da dengue e consistem basicamente em febre alta, mal-estar, dor de cabeça, dor muscular muito forte, cansaço, calafrios, vômito e diarréia, isso ocorre de três a seis dias após a picada do mosquito. No caso de suspeita da doença não ingerir Ácido Acetil-Salicílico. Procurar um hospital, o tratamento básico é a base de muita hidratação e antitérmicos. Casos mais graves requerem transfusão de sangue. A melhor forma de se prevenir é tomando a vacina que tem atuação no corpo por 10 anos (quem tomou depois de 1999, não precisa tomar esse ano). Tomar duas doses em curto espaço de tempo, pode além de causar eleitos colaterais, levar o indivíduo a morte.



Recomendações de Drauzio Varella

* Vacine-se contra febre amarela pelo menos dez dias antes de viajar para áreas de risco e não se esqueça das doses de reforço que devem ser repetidas a cada dez anos;
* Use, sempre que possível, calças e camisas que cubram a maior parte do corpo;
* Aplique repelente sistematicamente. Não se esqueça de passá-lo também na nuca e nas orelhas. Repita a aplicação a cada quatro horas, ou a cada duas horas se tiver transpirado muito;
* Não se esqueça de reaplicar o repelente toda a vez que molhar o corpo ou entrar na água;
* Use mosqueteiro, quando for dormir nas áreas de risco,
* Procure informar-se sobre os lugares para os quais vai viajar e consulte um médico ou os núcleos de atendimento ao viajante para esclarecimentos sobre cuidados preventivos;
* Erradicar o mosquito transmissor da febre amarela é impossível, mas combater o mosquito da dengue nas cidades é uma medida de extrema importância para evitar surtos de febre amarela nas áreas urbanas. Não se descuide das normas básicas de prevenção.

(fonte figura)



Agora se mesmo tomando todas essas medidas você não conseguiu exterminar todos os mosquitos, sugiro que visite Nadaver e descubra os equipamentos que estão sendo desenvolvidos para essa força tarefa!!!

7 Observações:

[>Dallai<] disse...

De certa forma, criaram um alarde muito grande sobre esse assunto, prometendo solução rápida. De repente, somos tomados por falta de vacinas na rede pública, enquanto o clima de "epidemia adormecida" continua presente.
Só pra constar...Eu já tive a porcaria da dengue 3 vezes! Odeio mosquito!

Sérgio disse...

Tine,
O mais importante é não cair na armadilha terrorista da mídia e sair se vacinando se necessidade.
Os casos de febre amarela existem e são monitorados pelo ministério da saúde.
Veja:
1996-15 casos;
1997-3 casos;
1998-34 casos;
1999-76 casos;
2000-85 casos e 42 mortes;
2001-41 casos e 22 mortes;
2002-15 casos e 6 mortes;
2003-64 casos e 22 mortes - obs: 58 dos casos diagnosticados na região
sudeste, principalmente MG;
2004-5 casos e 3 mortes;
2005-3 casos e 3 mortes;
2006 - 2 casos e 2 mortes e
2007 - 6 casos e 5 mortes.
(fonte : Min.Saúde)

Portanto se vai para alguma área de risco potencial ou mais grave, vacine-se, caso contrário passe muito repelente e mate o mosquito dadengue.

Tine Araujo disse...

Concordo Sérgio,
A mídia fez um alarde desnecessário... talvez falta de pauta... transformou isso na "Guerra dos Mundos"!!!

Como já disse em comentários em outros Blogs, não vou tomar a vacina, pois acho que se não é golpe de marketing, provavelmente, é para renovação de estoque... mas seja o que for, alguém tá ganhando com isso...

Esse ano temos eleição e não me surpreendo mais com troca de favores.

Obrigada por enriquecer esse post nos comentários com os dados do Ministério da Saúde. Pois o intuito aqui, realmente, é informar e conscientizar os leitores.

Ru Correa disse...

Muito o bom o post!

Parabéns!!

Vejo que a diversidade de idéias dos blogueiros só fortalecem as causas. É disso que precisamos!

Osc@r Luiz disse...

Tine,
Adorei sua visita e a sua opinião.
Bom, primeiro deixa eu me apresentar: eu sou Oscar, e além do blog que conheceu, que é o meu "carro-chefe", eu assino outros blogs também: o "Gente Sem Saúde", blog que foi a fonte da minha postagem, o "Flainando na Web", que é mais reflexivo e o "Coisas de Mato Grosso", que o próprio nome já diz...
Sua postagem foi perfeita também na parte de prevenção e talvez eu até a aproveite total ou parcialmente em outra oportunidade no "Gente Sem Saúde".
Por incrível que possa parecer, eu sou justamente biólogo e trabalho (pode arregalar os olhos, se quiser) justo no controle de endemias e epidemias. Imagine o tanto que estou trabalhando por conta disso...
Todos que opinaram aqui estão com razão. Aqui em Cuiabá, a imprensa está louca pra noticiar a "chegada da febre amarela", o que causou quase um pânico na população. Basta morrer um macaco (mesmo atropelado), que temos que dar mil explicações à população e impedir a imprensa de "dar o furo". Eu teria tanto pra te falar aqui... Mas vou te poupar bits e bytes.
Por enquanto, espero que voltar a receber a sua visita, porque já coloquei seu blog entre os meus favoritos pra poder voltar sempre que o tempo me permitir, e se me permitir, gostaria de colocar o seu link entre os links do By Osc@r Luiz também, mas pra isso aguardo um "alô seu".
Até 15 dias atrás, eu também lecionava e tinha uma maneira "no mínimo inusitada" de ensinar aos meus alunos, como a estatística é importante e como ela também dá margem para interpretações equivocadas. Se quiser conhecer, faça contato.
Parabéns pela sua postagem, pelos seus blogs, e muito obrigado pela sua gentileza e atenção.
Um beijo e um bom final de semana!

Cidão disse...

Seu post está excelente!
Parabéns!!!

Andréa Motta disse...

Oi, Tine! Vim agradecer a visita ao meu blog e conhecer um pouco o seu. Gostei e pretendo voltar!