Na Grã-Bretanha também tem pobre!

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Pobreza atinge 40% dos membros de minorias britânicas, diz pesquisa
30 de abril, 2007 - 21h32 GMT (18h32 Brasília)

Um levantamento divulgado nesta segunda-feira na Grã-Bretanha revela que, em média, 40% das pessoas de origem étnica minoritária do país vivem na pobreza.

A pobreza nesses grupos – como, por exemplo, negros africanos e pessoas provenientes do Sudeste Asiático – é o dobro da registrada entre as pessoas brancas, alertou a Fundação Joseph Rowntree, uma organização beneficente britânica que realiza pesquisas na área social.

No levantamento, baseado em 350 entrevistas, a fundação definiu a pobreza como a falta de posses materiais como roupas de frio, boas condições de habitação, oportunidades para atividade social (como conviver com amigos) e o medo de não conseguir se sustentar.

A fundação disse que a política do governo britânico para as minorias precisa ser "urgentemente repensada" e que é necessário estudar melhor como é dada assistência a esses grupos, para garantir oportunidades iguais no mercado de trabalho.

Problemas graves

Segundo o levantamento, a porcentagem pessoas vivendo na pobreza é de 55% entre as de origem paquistanesa e 45% entre os negros africanos.

Quase uma em cada três pessoas de origem indiana vive abaixo da linha de pobreza. O mesmo vale para negros de origem caribenha.

"Embora na última década tenham ocorrido alguns avanços, ainda há alguns problemas muito graves sem solução", disse a diretora da Fundação Joseph Rowntree, Julia Unwin.

"Esta pesquisa mostra como são necessárias políticas para lidar com situações diferentes de cada grupo."

Representantes do governo britânico dizem que estão sendo estudadas novas medidas para tirar mais membros de minorias da pobreza.

O secretário de Emprego e Reforma da Previdência, Jim Murphy, disse que a vida de pessoas de grupos de minorias étnicas melhorou na última década, mas admitiu que é necessário mais esforço nesse sentido.

É preciso agir rápido. É preciso mais união entre os povos.


0 Observações: