Pensando em Cursar Estatística?

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Quase um detetive
Educação - vestibular carreira - estatística publicado na edição impressa de 16/07/2007 por Marcela Campos

O estatístico é o profissional especializado em técnicas de coleta, análise, interpretação e apresentação de dados numéricos que contribuirão para a tomada de decisões em diversos segmentos. O aluno do ensino médio, por exemplo, confia em dados estatísticos ao consultar a relação candidato/vaga dos principais vestibulares do país. Da mesma forma, antes de lançar um perfume, pode-se utilizar a Estatística para uma avaliação prévia da receptividade do público consumidor ao produto.


PERFIL
No Paraná, apenas duas instituições de ensino superior oferecem o curso de graduação em Estatística:
a Universidade Estadual de Maringá (UEM) e a Universidade Federal do Paraná (UFPR).

De acordo com um levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV), os estatísticos têm a segunda melhor remuneração do estado, atrás apenas dos médicos.
Em Curitiba, a média salarial seria de R$ 6.292. Para Corrêa, entretanto, o valor foi puxado para cima pelos poucos profissionais que recebem altos salários.

Segundo o coordenador do curso de Estatística da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Joel Maurício Corrêa da Rosa, a análise de dados leva a previsões confiáveis e exige, muitas vezes, habilidades dignas de um detetive. “A Estatística é a arte de torturar os dados até que eles confessem a verdade”, brinca.

O estatístico atua em todos as áreas que envolvem pesquisa. De acordo com Corrêa, grandes oportunidades são oferecidas por clínicas e hospitais, onde este profissional determina métodos de pesquisa e organiza dados obtidos em levantamentos na área da saúde.

“Outra possibilidade é o trabalho nas indústrias, no controle de qualidade dos produtos, procurando diminuir a variabilidade do que é fabricado. O estatístico pode atuar ainda na área de marketing de uma empresa, levantando o perfil dos clientes e estudando o efeito de uma propaganda”, acrescenta Corrêa.


FALSO OU VERDADEIRO?
Para o estatístico, basta saber lidar com números?
FALSO. Conta é o que não falta no currículo do curso, mas o estudante também precisa desenvolver habilidades de comunicação e para trabalhar em equipe. A leitura diária de jornais e revistas também facilitará a interpretação dos resultados quantitativos.

A Estatística é uma área em expansão?
VERDADEIRO. O campo de trabalho para este profissional é amplo e cresce à medida que empresas públicas e privadas descobrem a importância de investir em planejamento. A maior parte dos graduados é contratada ao deixar a faculdade.

Ary Sabbag Júnior, 49 anos, hoje trabalha na seguradora HDI. Entre as suas funções está o cálculo das probabilidades de roubo e batida de carros, o que resultará no valor cobrado de cada cliente. “Mas também já trabalhei na Souza Cruz, onde buscava reduzir custos na produção de cigarros e aumentar a qualidade do fumo, além de acompanhar a receptividade do público aos produtos da empresa”, diz.

A área financeira, porém, é a que mais tem absorvido estes profissionais. Nestas instituições, os estatísticos analisam como se comporta o crédito, a inadimplência e a movimentação das ações, entre outras variáveis. “Quando me formei, fui contratado pelo Banco Bamerindus para planejar a capacidade computacional do grupo. Fazia o levantamento do número de transações financeiras realizadas nos caixas eletrônicos e projetava qual seria a demanda pelo serviço nos próximos anos. Com base nestas informações, a instituição importava novas máquinas”, recorda Sabbag, graduado em 1982 pela UFPR.


VESTIBULAR ESTENDIDO
O curso da UFPR oferece anualmente 66 vagas, mas poucos dos que entram conseguem sair. A explicação é o alto grau de dificuldade da graduação. Para tentar diminuir o índice de evasão escolar, o vestibular foi reformulado em 2006 e ganhou uma 3.ª fase de caráter eliminatório. “O número de candidatos selecionados para a 3.ª fase é duas vezes maior que o número de vagas. Os alunos fazem uma disciplina da área de Matemática e uma da de Estatística. Os que conseguem as melhores notas em quatro provas prosseguem no curso”, explica Corrêa. Os estudantes também precisam obter, no mínimo, 50% de aproveitamento em cada avaliação.


Simplesmente um curso apaixonante!!!

2 Observações:

Anônimo disse...

Estamos a todo momento lidando com dados estatísticos,fazer uma graduação só irá complementar o que já o fazemos todos os dias.

Anônimo disse...

Estamos a todo momento lidando com dados estatísticos,fazer uma graduação só irá complementar o que já o fazemos todos os dias.