Obesidade: combater ou aceitar?

sábado, 21 de julho de 2007

Sobrepeso e obesidade atingem 21,1% das crianças em Criciúma
Autor: Nadia Couto - Participa desde: 11/12/2006

Pesquisa realizada pela Universidade do Extremo Sul Catarinense revela que 21,1% das crianças na zona urbana de Criciúma (SC) são afetadas pelo sobrepeso ou obesidade.

A taxa de sobrepeso e obesidade entre crianças de seis a 10 anos de escolas de Criciúma atinge a taxa de 21,1%, sendo 14,5% de sobrepeso e 6,6% de obesidade, o que é considerado alto e acompanha os índices da Europa.

Este é um dos resultados da pesquisa desenvolvida pela professora Loraine Storch Meyer da Silva, do curso de Medicina da Unesc, intitulada “Impacto de intervenção no sobrepeso e obesidade em crianças de seis a 10 anos de idade matriculadas em escolas da região urbana de Criciúma-SC”.

A primeira etapa da pesquisa, a prevalência, para levantamento das taxas de sobrepeso e obesidade, envolveu 1.398 alunos de 10 escolas públicas e particulares de Criciúma. O projeto é objeto da tese de doutorado em Pediatria na Escola Paulista de Medicina, da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

O trabalho é dividido em duas etapas: a prevalência e a intervenção, iniciada em 25 de setembro, com aulas semanais de educação nutricional, envolvendo alunos do curso de Nutrição da Unesc, e atividade física duas vezes por semana, durante 50 minutos, fora do horário escolar.
Foram selecionadas 138 crianças para participar da intervenção, que vai se estender pelo ano de 2007.

Espero que seja publicado os resultados e possamos ter acesso.

0 Observações: