Não quero perder nenhuma cor...

quarta-feira, 6 de junho de 2007

Médicos testam nova técnica contra cegueira
05 de junho, 2007 - 20h07 GMT (17h07 Brasília)

Cientistas britânicos estão tentando restituir a visão de pessoas que sofrem de degeneração macular usando células-tronco.

A equipe já corrigiu a visão de um grupo de pacientes com Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) usando células retiradas dos olhos dos próprios pacientes.

Agora, com a ajuda de uma doação de cerca de US$ 8 milhões, os especialistas do Moorfields Eye Hospital em Londres planejam repetir o feito, porém usando células-tronco embrionárias cultivadas em laboratório.

Espera-se que os primeiros pacientes possam ser tratados dentro de cinco anos.

Complicações

A DMRI afeta cerca de 25% das pessoas com mais de 60 anos e pode levar à cegueira. A condição ocorre em tipos diferentes.

Entre eles, a forma seca, mais branda e de evolução mais lenta, e a forma exsudativa ou úmida, mais agressiva.

Embora tenha havido progresso no tratamento da forma úmida de DMRI, não existe nenhum tratamento para a DMRI do tipo seco.

Mais comum, ela afeta nove em cada dez pacientes com degeneração macular.

Nela, a camada de células do epitélio pigmentar da retina (EPR) vai ficando fina e se degenera.

Esta camada de células é crucial para o funcionamento dos cones e bastonetes, que processam a luz. Quando ela se degenera, os cones e bastonetes também se degeneram e morrem.

O coordenador da pesquisa no Moorfields Eye Hospital, o médico Lyndon Da Cruz, participou de um projeto anterior, em que células extraídas de regiões saudáveis da retina dos pacientes foram implantadas nos locais afetados pela degeneração macular.

As experiências foram bem-sucedidas, mas trouxeram algumas complicações. As operações demoram mais de duas horas e é preciso duas cirurgias.

Para que o procedimento seja mais fácil, mais rápido e mais amplamente disponível, especialistas da University of Sheffield, no norte da Inglaterra, cultivaram células EPR a partir de células-tronco embrionárias.

Os cientistas esperam poder injetar essas células nos olhos dos pacientes durante uma operação de 45 minutos de duração.

Experimentos anteriores – em que células EPR cultivadas em laboratório foram implantadas nos olhos de ratos com degeneração macular – conseguiram restituir a visão dos animais.

Os cientistas explicaram que, embora tenham tido sucesso no cultivo de células EPR em laboratório, é preciso ter certeza de que elas podem ser usadas de forma segura em humanos.

Eles acreditam, no entanto, que por serem muito mais adaptáveis, as células-tronco devam aumentar as chances de sucesso.
O objetivo dos especialistas é criar uma terapia de uso mundial.
Espero que eles encontrem... imagina tanta tecnologia chegando, tanta modernidade e a gente sem poder ver nada... não ia ser legal!!!

0 Observações: