Diga não a gordura animal!!!

segunda-feira, 25 de junho de 2007

Dieta rica em gordura prejudica feto, indica pesquisa
13 de janeiro, 2003 - Publicado às 19h59 GMT

Mulheres que têm uma dieta rica em gordura durante a gravidez podem estar aumentando os riscos de seus filhos desenvolverem problemas de coração ao longo da vida.

Essa foi a conclusão a que chegaram os pesquisadores que alimentaram ratos com uma dieta rica em banha, semelhante à proporcionada por uma alimentação baseada em fast food.

Os autores do estudo constataram que as crias dos animais tinham mais chance de ter problemas cardiovasculares.

Os pesquisadores foram financiados pela ONG Tommy, ligada à saúde de bebês, e pela Fundação Britânica do Coração, e afirmaram que seu estudo tem grandes implicações para as futuras mães.



Pressão alta

Os ratos eram alimentados com uma dieta de ração normal ou com outra rica em gordura animal antes e depois da gravidez.

Suas crias eram então alimentadas com uma dieta normal e saudável e monitoradas para mudanças em seus batimentos cardíacos e pressão sangüínea.


Uma dieta rica em gordura animal durante a gravidez pode 'programar' permanentemente anomalias no feto em desenvolvimento - Paul Taylor, médico do St. Thomas Hospital

Na meia idade, tanto as crias macho quanto fêmeas apresentavam sinais de danos arteriais com níveis anormais de gordura no sangue.
Pressão alta só foi registrada nas crias fêmeas.

“Uma dieta muito rica em gorduras é um problema comum entre mulheres grávidas, principalmente nos países ocidentais.” Paul Taylor, médico da Unidade de Pesquisa Maternal e Fetal do St. Thomas Hospital, em Londres, confirma o alerta.

"Nós provamos que uma dieta tipicamente ocidental, rica em gordura animal, como por exemplo o fast food, durante a gravidez pode 'programar' permanentemente anomalias metabólicas e cardiovasculares no feto em desenvolvimento", disse.

Resistência

"Mesmo com uma dieta normal ao longo da vida, esses adultos desenvolvem doenças com perfis típicos das sociedades ocidentais, como números anormais de lipídios no sangue (gordura), resistência à insulina e hipertensão."

"Se os resultados forem aplicáveis à gravidez humana, a 'programação fetal' de doenças em adultos em conseqüência da dieta de gorduras materna pode ter graves implicações tanto para a nossa compreensão das causas dos problemas cardiovasculares quanto para a saúde pública em geral", completou o médico.

Taylor disse ainda que os resultados indicam que crianças do sexo feminino podem ser mais vulneráveis que meninos aos efeitos de uma dieta rica em gordura de suas mães.

Ele afirmou ser possível que uma dieta com gorduras demais provoque problemas cardiovasculares ao detonar altos níveis de hormônios de estresse nos fetos em desenvolvimento.

Os hormônios do estresse vêm sendo relacionados a problemas de crescimento. É recomendável que as gorduras não ultrapassem 30% das calorias na dieta diária

Não preciso repetir né!!! Mamães de plantão!!! Cuidar da alimentação é
fundamental!!!

0 Observações: