Câncer nos testículos...

sábado, 2 de junho de 2007

Até 87% conseguem ter filhos após câncer nos testículos, diz pesquisa
20 de julho, 2005 - 10h20 GMT (07h20 Brasília)

Uma pesquisa publicada na Grã-Bretanha diz que 87% dos pacientes de câncer de testículo são capazes de ter filhos.

A pesquisa foi feita pelo Instituto de Pesquisa do Câncer da Grã-Bretanha e a Fundação Real Marsden, uma fundação do sistema público de saúde britânico, e foi publicada na Revista Britânica do Câncer.

Os pesquisadores fizeram questionários a mais de 200 homens que tentaram ter filhos depois de tratamentos para a doença feitos entre 1982 e 1992. Desses, 77% conseguiram ser pais naturalmente e outros 10% conseguiram depois de tratamentos de fertilidade.

O estudo descobriu que pacientes tratados com quimioterapia depois da cirurgia têm um risco maior de infertilidade, se comparados com aqueles que não passaram pela quimioterapia ou que passaram apenas pela radioterapia.

A pesquisa também descobriu que 83% dos homens afirmaram estar satisfeitos com sua vida sexual.

Normal

"Mostramos que depois do tratamento com quimioterapia ou radioterapia a maioria dos homens que querem ter filhos consegue", disse Robert Huddart, um dos líderes da equipe de pesquisadores.

Entretanto, segundo Huddart, os pacientes devem ser monitorados quanto ao nível do hormônio masculino testosterona, pois se esses níveis caírem a libido pode ser afetada.

O câncer testicular raramente ocorre antes da puberdade, mas é o tipo de câncer mais comum em homens entre 15 e 44 anos.

"São boas notícias. O câncer testicular é o mais comum entre homens jovens, muitos deles têm esperança de ter filhos depois do tratamento. Esse tipo de câncer tem cura em 99% dos casos se for diagnosticado no início, e a maioria dos homens podem ter uma vida normal depois do tratamento", disse Peter Rigby, diretor executivo do Instituto de Pesquisa do Câncer.
Bom mesmo é não ter nenhum tipo de câncer, se cuidar, fazer exercícios e exames períodicos e se tiver casos na família redobre os cuidados.

0 Observações: