Ser ou não ser Euro...

sábado, 28 de abril de 2007

Metade dos usuários do euro quer moeda antiga de volta
Internacional 23/03/2007 - 20h42 - por Marcin Grajewski



BRUXELAS (Reuters) - Quase metade das pessoas em países que usam o euro gostariam de ver suas velhas notas e moedas nacionais novamente em circulação, segundo pesquisa divulgada na sexta-feira.

O levantamento da agência TNS para a entidade britânica Open Europe mostra também que a maioria dos cidadãos da União Européia gostaria que houvesse um referendo sobre um eventual tratado que substitua a Constituição do bloco, que foi rejeitada.

A pesquisa ocorre às vésperas de uma cúpula da UE em Berlim, na qual os líderes vão celebrar o 50o aniversário do Tratado de Roma (marco da fundação do bloco) com uma declaração destinada a retomar as reformas das instituições européias.

Foram ouvidas mais de 17 mil pessoas nos 27 países da União Européia. Entre os 13 que adotam o euro como moeda, 49 por cento dos entrevistados gostariam de ver a volta das moedas antigas.

Outros 47 por cento gostariam de preservar o euro, em circulação há pouco mais de cinco anos. Só em seis países da zona euro os defensores da nova moeda são maioria, segundo nota da Open Europe.

A pesquisa não indica as razões dessa rejeição ao euro, mas levantamentos anteriores sugerem que muitos consumidores atribuem a ele a percepção de que os preços aumentaram exageradamente desde 2002 -- o que as estatísticas negam ter ocorrido.

Em 11 dos 14 países da UE que não usam o euro, a maioria é contra adotá-lo. Ao todo, são 60 por cento contra a moeda única e 31 a favor.

As moedas antigas são mantidas nos 11 países que aderiram recentemente, e também na Grã-Bretanha, Dinamarca e Suécia. Os escandinavos já rejeitaram a adoção do euro em referendo.

Já os novos países do bloco são obrigados, segundo seus tratados de adesão, a adotarem o euro assim que cumprirem os critérios econômicos.

A pesquisa, realizada neste mês, mostra que 75 por cento dos cidadãos da UE gostariam que haja um referendo sobre um novo tratado da UE, caso este dê mais poderes às instituições do bloco. Em 2005, os eleitores da França e da Holanda rejeitaram a proposta de Constituição para o bloco.

De acordo com a pesquisa, 41 por cento votariam a favor da concessão de mais poderes à UE, e outros 41 apoiariam um tratado que retirasse alguns poderes do bloco.

No geral, 28 por cento acham que a UE deveria ter mais poderes, 23 por cento acham que está bom assim e 41 por cento gostariam que ela tivesse menos poderes.

Além disso, 56 por cento dos entrevistados em toda a UE concordam com a idéia de que o bloco "não representa os cidadãos comuns do nosso país".



Imagina se eles vivessem o que o Brasil viveu: Cruzeiro, Cruzado, Réis, Cruzado Novo, URV.... Com certeza achariam o EURO uma maravilha.

0 Observações: